Procura-se um amor
Meus Desencontros

Procura-se um amor

Por em 24 de julho de 2014

Para ler ouvindo:

 

Vou confessar, tenho inveja das pessoas que têm facilidade para amar.  Uma pitada de amor a mais não faz mal a ninguém e, não tem como negar, adoça demais a vida.

Às vezes acho que todo mundo deveria ser um pouco assim. Amar nos deixa mais leves, sorridentes, de bem com a vida. O problema é encontrar alguém pra isso. Você já parou pra pensar o quanto algumas pessoas têm facilidade de encontrar outras pessoas?

Eu tenho amigas que trocam de namorado como se trocassem de roupa. Ok! Bom pra elas, eu acho. Pra mim já não serve. Prefiro qualidade à quantidade, mesmo que elas me atirem pedras e digam que preferem o mesmo.

Pessoas não são descartáveis, elas fazem parte da nossa vida por um determinado período de tempo, e é impossível apagar isso da noite para o dia, pelo menos pra mim. Se for pra entrar na minha vida, tem que ser pra valer, não pra colecionar histórias pra ter o que contar para os amigos depois.

Mas vamos voltar ao que interessa: onde encontrar? Dizem que a gente tem que sair, ir pra balada, conhecer pessoas. Vamos analisar… uma amiga minha casou com um menino que foi instalar o ar condicionado na casa dela. Outra está namorando um que conheceu no trote da faculdade. E tem uma que está de casamento marcado com o melhor amigo. E porque diabos a gente tem que ir pra balada?

Sair eu concordo, afinal o cupido não vai bater a nossa porta (né?!). Mas ir pra balada??? Não sei você, mas eu sou daquelas que troca qualquer “bate estaca” pra ficar em casa assistindo a um bom filme. E sem culpa nenhuma na consciência!

Não acho que balada seja a solução, até porque… se eu não gosto de frequentar esses lugares porque iria querer conhecer alguém que goste? Não faz muito sentido.

Mas desconfio que as minhas amigas tiveram sorte. Acredito que essa facilidade pra encontrar outro alguém esteja na disponibilidade, na capacidade de se entregar e até onde você se permite ir.

Se você se permite mais, pode esbarrar com sua cara metade em qualquer lugar. No barzinho, no cinema, na academia, no supermercado. É o famoso “olhar para o lado”. A gente nunca olha e nem percebe isso.

Uma amiga uma vez me disse que vou encontrar o grande amor da minha vida no dia que eu for descabelada até a padaria. Olha… esses dias até fui com uma calça de moletom pra dar aquela forcinha. Acho que o negócio é trocar de padaria. Alguém tem uma pra indicar? Tem que ter pão fresquinho!

 

Imagem do post: Tumblr

TAGS
VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR
Pra-ela-dar-o-nome
Pra ela dar o nome

14 de julho de 2016

O-que-acho-que-sei-sobre-o-amor
O que acho que sei sobre o amor

16 de junho de 2016

escarlate
Escarlate

7 de junho de 2016

1 Comentário
  1. Responder

    Mariana

    4 de agosto de 2014

    Olá! Encontrei o site através do facebook e fiquei encantada! Lindo trabalho! Parabéns! Vou acompanhar sempre! Beijos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Brasil

Somos um blog sobre relacionamentos, desencontros da vida e situações do acaso. Mas não espere encontrar a solução para os seus problemas em nossos textos. Não somos donos de divãs, e nem ousamos ser, mas somos todos ouvidos se você quiser compartilhar suas histórias, seus pensamentos e, quem sabe, um pouquinho da sua vida. Esperamos que você curta cada linha que a gente escrever, e se você parar para refletir um pouco sobre elas, já valeu a pena ter encontrado você por aqui. Seja bem-vindo!

CATEGORIAS
CURTA NOSSA PÁGINA
Receba por email

Cadastre o seu e-mail e receba conteúdo exclusivo do blog, dicas e acompanhe nossas atualizações.


@MEUSDESENCONTROS
ARQUIVOS